logo
Pacientes & Público Profissionais de Saúde História da Radiologia Links em DI Fale Conosco


Raio-X simples:

Os equipamentos de Raio-X emitem fótons que reagem com uma substância a base de prata disposta no filme. Quando radiografamos uma perna, por exemplo, os ossos aparecem brancos no filme porque o fóton não atravessou o osso e, portanto, não reagiu com a prata. O restante do filme terá tons de cinza e preto, indicando que houve reação com a prata em menor ou maior grau. Temos então uma imagem "em negativo" da perna.

Como já sabemos, a radiação ionizante pode causar alteração em nível celular. Assim sendo, mesmo que um único exame de Raio-X simples emita muito pouca radiação para tal, deve-se evitar exames de Raio-X em mulheres grávidas, principalmente durante o primeiro trimestre de gravidez. 

Para exames de Raio-X simples de modo geral não há necessidade de qualquer preparo prévio. Exceto nos casos de investigação de cálculo urinário, ou outras calcificações no abdome, é interessante a limpeza intestinal, seja por utilização de laxantes ou por lavagem intestinal, uma vez que as fezes em excesso podem prejudicar a leitura do exame. 


Raio-X contrastado:

Urografia Excretora
 
Técnica de exame
Preparo para exame

O exame de Urografia Excretora, também chamado de Pielografia Venosa, é ainda um exame radiológico dos mais importantes para o estudo das vias urinárias, mesmo com o advento da Tomografia Computadorizada, uma vez que possui um custo menor e pode ser realizado em qualquer lugar que possua um aparelho de Raio-X.

Está indicado na investigação de litíase urinária (cálculos) e suas complicações, nas uropatias obstrutivas, doenças infecciosas crônicas das vias urinárias (tal como a tuberculose), má-formação congênita, etc.

É contra-indicado em pacientes com aumento das taxas de uréia e creatinina.

Deve ser evitado em pacientes com história de alergia.


   Técnica de exame:

O exame de Urografia Excretora começa com uma radiografia simples do abdome (após limpeza intestinal na antevéspera) onde podemos apreciar cálculos urinários, calcificações na topografia dos rins, ureteres e bexiga e outras alterações radiopacas que seriam "escondidas" se fosse iniciado o exame logo com a injeção da substância de contraste radiopaca. Feita então a radiografia simples, procede-se à injeção do contraste, a base de iodo, que será excretado pelos rins e opacificará as estruturas macro-excretoras do aparelho urinário, ou seja, os cálices renais, os bacinetes, os ureteres e a bexiga.

Pacientes alérgicos devem estar cientes de que, como qualquer substância estranha ao organismo, a substância de contraste pode desencadear reações alérgicas. Portanto, tal condição deve ser relatada ainda no consultório do médico que intenta solicitar o exame de Urografia Excretora. Desta forma, o seu próprio médico poderá avaliar os riscos e benefícios deste exame e, até mesmo, substituí-lo por um outro. Por exemplo, em uropatia obstrutiva por cálculo pode ser realizada a Tomografia Computadorizada sem injeção de contraste.

Após a injeção do meio de contraste, são feitas radiografias em tempos determinados, mostrando a dinâmica da excreção. É portanto um exame que avalia também a função renal e não somente a anatomia.

Após as primeiras chapas, deve-se proceder a uma compressão abdominal que vise obstruir temporariamente os ureteres e permitir um melhor enchimento dos cálices e bacinetes. Tal compressão está absolutamente contra-indicada em pacientes com aneurisma abdominal, naqueles submetidos a cirurgia recente e portadores de próteses na região da compressão. É relativamente contra-indicada a compressão abdominal em algumas patologias infecciosas, litiásicas (cálculos), patologias ginecológicas e intestinais, entre outras.

Feita a descompressão abdominal, realiza-se mais algumas radiografias até que se complete o exame. Como é um exame dinâmico, ou seja, como o número de radiografias a serem feitas e as posições (incidências radiográficas) podem variar conforme a doença a ser estudada, é imperativo a presença do médico radiologista orientando o técnico de radiologia para um exame correto. Além disso, como a substância de contraste pode desencadear alergia, mesmo naqueles sem qualquer história pregressa de alergia, a presença do médico já durante a injeção é importantíssima. EXIJA A PRESENÇA DO MÉDICO RADIOLOGISTA DURANTE EXAMES QUE NECESSITEM DE INJEÇÃO VENOSA DE CONTRASTE.


    Preparo para exame:

Na véspera do exame:

1- Dejejum: Tomar pela manhã uma xícara de café (sem leite) ou chá, acompanhada de 3 torradas ou 4 biscoitos de água e sal, ou cream crackers, sem manteiga ou margarina.

2- Às 9 horas: Ingerir 2 comprimidos de Dulcolax® ou Lacto Purga® de uma só vez. Se preferir pode substituir por Agarol® (duas colheres de sopa).

3- A partir das 10 horas, até a hora de dormir à noite, tomar um copo de água de 2 em 2 horas.

4- Almoçar somente peito de frango ou 1 filé de peixe PURO, sem arroz ou feijão, ou qualquer outro acompanhamento.

5- À tarde, ingerir gelatina de fruta (à vontade).

6- Jantar o mesmo que no almoço.

Gelatina e refrescos (e não suco) podem ser ingeridos a qualquer hora.

No dia do exame:

Tomar somente o café da manhã igual ao dia anterior.

Se o exame for à tarde, não almoçar (entretanto pode ingerir gelatina ou refresco).

O B S E R V A Ç Õ E S   I M P O R T A N T E S:

A SUA PARTICIPAÇÃO NA CORRETA EXECUÇÃO DESTAS 6 TAREFAS PARA UMA BOA LIMPEZA INTESTINAL É FUNDAMENTAL; E RESULTARÁ EM UM EXAME ÓTIMO, O QUE, OBVIAMENTE, QUEM MAIS SE BENEFICIARÁ SERÁ VOCÊ MESMO.

Eventualmente utilizamos medicação anti-alérgica, que pode causar sonolência. Sugerimos que você venha acompanhado para  o exame e não marque compromissos para logo depois do exame.

SE VOCÊ FAZ USO DE MEDICAMENTOS, TAIS COMO REMÉDIOS PARA A HIPERTENSÃO, CALMANTES, ETC, FAVOR RELATAR NA HORA DA MARCAÇÃO DO EXAME.

  Voltar ao topo